Buscar
  • graziellarose

COMO ESTUDAR UMA LEGISLAÇÃO DE FORMA EFICIENTE FACILITAR A SUA APRENDIZAGEM

Atualizado: Abr 20



Você dedicou horas, dias e um tempão lendo os livros de doutrinas, as legislações, as anotações do seu caderno e dando o seu melhor para estudar e aprender as normas jurídicas associadas à matéria que será cobrada na sua prova da faculdade. O resultado é que você está com medo da proximidade da prova (seja na faculdade seja de um concurso público) porque está com dificuldades em compreender o que significa aquela norma jurídica e como aplicá-la ao caso concreto.


Os processos avaliativos das faculdades fazem com que os estudantes sintam essa sensação chata, além de ansiedade e insegurança. Afinal, a nota será essencial para avançarem nas unidades curriculares dos períodos até a formatura. Por outro lado, elas são necessárias para identificar se aqueles conhecimentos compartilhados pelos professores estão sendo apreendidos pelos estudantes e tornando-se eficaz nos processos de aprendizagem de cada um.


Para quem está estudando para as provas de concursos públicos esses sentimentos chatos somam-se ao desespero do acúmulo de conteúdos descritos no edital a ser estudado.


Mas imagina só se, desde a graduação, você consegue compreender:


  1. o seu perfil de aprendizagem predominante;

  2. desenvolver suas habilidades de autodidatismo;

  3. estudar as melhores técnicas de aprendizagem que vão ajudar ao longo de toda a sua trajetória acadêmica; e

  4. otimizar o seu tempo de estudos.


Nenhum conhecimento jurídico compartilhado na faculdade é em vão. Na prática jurídica é essencial realizamos a transposição da teoria aos casos concretos para compreender seus significados. Não precisamos ficar quebrando a cabeça.


Portanto, quero te dar uma dica que pode te auxiliar na otimização dos estudos que você estiver fazendo sobre um assunto relacionado a uma norma jurídica. Mas antes, você precisa saber que uma das melhores formas no processo de aprendizagem é a contextualização temática. E é por isso que muitos professores dão exemplos de situações hipotéticas do conteúdo ministrado em suas aulas, apesar de nem todos os exemplos serem suficientes para a compreensão daquele assunto normativo pelos estudantes.


Então, se você está com dificuldades de compreender o que uma determinada norma jurídica significa, a melhor forma de começar a compreendê-la é fazer um exercício de contextualização.


Vamos associar essas normas jurídicas aos casos concretos julgados pelos tribunais superiores


Inicie realizando uma pesquisa rápida no Portal de Legislações do site do Planalto (http://www4.planalto.gov.br/legislacao/). No nosso exemplo, vou utilizar a Constituição Federal.

Portanto o link de acesso é:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm


Perceba que quase todos os artigos da Constituição possuem, em sua lateral esquerda, o símbolo de uma balança. Veja o exemplo abaixo na figura:





No caso de uma outra legislação, pode haver uma mudança do símbolo da balança por outro símbolo jurídico representativo, como é o exemplo do símbolo do malhete que aparece do Código de Processo Civil (http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/2002/L10406.htm), conforme podemos observar na figura abaixo:






Esses símbolos existentes à frente do artigo da legislação representam uma associação da página do portal de legislações do Planalto com o site do STF e STJ, possibilitando a visualização das jurisprudências consolidadas nesses tribunais superiores competentes referente a este artigo que você escolheu estudar.


Qual é a vantagem em utilizar essa técnica de estudo?


Ao clicar no símbolo (balança ou malhete) e acessar os julgados e jurisprudências dos tribunais superiores, você poderá compreender melhor a explicação legislativa pelos julgados dos tribunais. No momento que você contextualiza aquela norma jurídica em um caso concreto, você facilita a compreensão daquela norma porque materializou uma norma em abstrato.


O cérebro adora associações, exemplos e casos para internalizar a informação no processo de aprendizagem. Já percebeu que nós adoramos uma história? Então! Podemos facilitar o nosso processo de aprendizagem quando utilizamos técnicas de estudo que possibilitam associações significativas. E se temos uma forma mais fácil de compreender e aprender as normas jurídicas durante os nossos estudos, vamos aproveitá-la, porque esses acessos aos sites mencionados são de acesso gratuito e ilimitado.


Se você ainda não sabe do seu potencial autodidata leia este meu post aqui do Blog: PODER DO AUTODIDATISMO E APRENDA O QUE QUISER


Como educadora, preciso estar atenta aos perfis de aprendizagem dos estudantes e fazer do aprendizado um processo divertido utilizando diversas técnicas de estudo. Afinal de contas, estudar não parece ser a melhor coisa do mundo (vamos combinar, né?!), mas aprender é uma delícia. Por que não ser também o processo de aprendizado uma oportunidade de estudar sem sofrimento e sem neura?


Neste blog quero compartilhar com você tudo o que eu puder para contribuir com a sua trajetória de aprendizagem, seja descobrindo como aprender a aprender, seja aperfeiçoando as suas técnicas e ferramentas de aprendizagem e produção acadêmica.

Durante anos como professora e pesquisadora da Educação e processos de aprendizagem percebi que mais do que compartilhar o conhecimento que adquiri com os estudantes, eu precisa facilitar o seus processos de aprendizagem para que cada um pudesse descobrir o seu autodidatismo e se tornassem os protagonistas do conhecimento. Sinto-me muito confortável na função de facilitadora de aprendizagens autodirigidas na qual utilizo-me das metodologias ativas como ferramentas de aprendizagem real.


Se eu puder te ajudar, sinta-se em casa!


Com o texto de hoje, eu espero sinceramente ter ajudado a sua trajetória de estudos jurídicos. Aproveite e compartilhe esse post com os seus amigos para facilitar os estudos jurídicos deles também.


Grande abraço!

Profª Mª Graziella Rose

28 visualizações

Posts recentes

Ver tudo